AUDIÊNCIAS VÃO DISCUTIR BARRAGEM DE SÃO LUIZ DO TAPAJÓS

Está marcada para o dia 29 deste mês (abril) a Audiência Pública para licitar as obras da construção das primeiras hidrelétrica da Bacia do Rio Tapajós. Nesta audiência será discutido a Avalição Ambiental Integrada (A.A.I)  da bacia do Tapajós, divulgada na sexta feira passada, que aponta  impactos cumulativos dos sete aproveitamentos hidrelétricos identificados na região, que somam uma potência de 14,2 mil megawatts (MW). O Governo vai tentar evitar a repetição dos conflitos que retardaram as obras de Belo Monte, no Rio Xingu. A primeira licitação da bacia do Rio Tapajós está prevista para ocorrer ainda este ano. Será a usina de São Luiz do Tapajós, com potência de 6.133 MW. O planejamento do setor elétrico prevê ainda outra usina na região com inicio de operação até 2020, Jatobá, com potência instalada de 2. 338 MW. Juntas, as duas têm capacidade para gerar o mesmo volume de energia da Usina de Belo Monte, que embora tenha potência de 11.233 MW, garante a entrega de 4.571 MW médios durante o ano, 80 MW médios a menos do que a energia firme das primeiras hidrelétricas da Bacia Hidrográfica do Tapajós. A Bacia do Tapajós é considerada fundamental por especialistas, para garantir o crescimento do parque gerador de energia brasileiro. Na região, os estudos detectaram sete terras indígenas delimitadas e quatro em estudo, além de 24 unidades de conservação. O estudo identificou ainda uma serie de questões fundiárias, relativas a atividades econômicas em terras não regularizadas, e extração mineral. Apenas para as duas primeiras usinas, está prevista uma área alagada de 552 quilômetros quadrados, o equivalente à área alagada de Belo Monte.( Jornal O LIBERAL).

Postar um comentário

0 Comentários