RIO TAPAJÓS

terça-feira, 20 de março de 2018

EMPRESA É RESPONSÁVEL PELAS PRECÁRIAS CONDIÇÕES DA BR-163.



O vereador Peninha usou a Tribuna na Câmara na ultima terça feira para acusar a empresa SANCHES TRIPOLONI de ser a responsável pelas precárias condições de alguns trechos da Rodovia 163-Cuiabá-Santarém, no trecho Campo Verde- Rurópolis. O edil, que teve a oportunidade de percorrer este trecho recentemente, disse que a empresa, com o objetivo de receber pagamento do serviço prestado ao DNIT, com a tal  medição, resolveu mexer em toda a extensão deste trecho, que tem uma extensão de 112 quilômetros e não tinha equipamentos suficiente para fazer o trabalho. Com a chegada do inverno, como a empresa não teve condições de efetuar o serviço, foi obrigada a fazer vários desvios. 

Desvios estes, que quando chove fica verdadeiro “sapoeiro”, pois nenhum carro sobe e nem desce, a não ser com a ajuda de maquinas pesadas, como podemos ver in loco dezenas de carretas sendo arrastadas pelas maquinas da empresa Sanches Tripoloni. Com isso, se formam enormes filas, principalmente de carretas, que são as mais prejudicadas e ai como não passam nem com reza, atravessam as carretas para que ninguém passe, destacou Peninha.


Como podemos ver, a empresa mexeu em vários trechos e o que era pista de rolamento da estrada, virou buraco e atoleiro, por isso vários desvios são necessários serem feitos, frisou Peninha. 

O vereador não poupou criticas ao DNIT, órgão que fiscaliza o serviço, pois deveria ter advertido a empresa, para que não mexesse em todo este trecho. Entretanto, o DNIT permitiu que isto acontecesse e hoje estamos passando humilhação neste trecho, por falta de responsabilidade, tanto da empresa, como do órgão, que fiscaliza e paga o serviço.
Lembrou Peninha que o contrato da empresa nº 00035/2013 é no valor de R$ 229.388.427,00, já tendo aditivo, porém, se passaram 5 anos e a empresa ainda não concluiu o serviço. O pior, afirmou o parlamentar, mexeu tanto neste trecho, que está intrafegável quando chove.

O edil itaitubense também criticou o 8º BEC. Disse que é uma vergonha o governo ainda contratar o BEC para fazer asfaltamento desta estrada. Lembrou Peninha que há quase 40 anos o 8º BEC está asfaltando a Santarém-Cuiabá, trecho Santarém-Rurópolis, com uma extensão e cerca de 223 Km e até hoje não concluiu. E olha, que já foram gastos milhões e milhões de reais

“Peninha lembrou que esta semana quando viajava por esta estrada também enfrentou os problemas desta rodovia por causa dos serviços porcos”, como classificou. Disse que 20 quilômetros chegando a Rurópolis, sentido Santarém-Rurópolis, tem em torno de 200 metros, isto mesmo, 200 metros que até hoje não foram asfaltado e o Bec não faz nada. Ali passamos mais de 2 horas para puxar uma carreta que não subia por causa do trecho liso. Bastava que fosse feito terraplenagem. O pior que este problema já vem ocorrendo a meses e parece que o Bec não vê, apesar dos seus veículos passarem ali, acrescentou Peninha.

O vereador, usando a tribuna, se mostrou indignado, pois o Bec já recebeu tanto dinheiro e nunca concluiu a pavimentação desta estrada de Santarém a Rurópolis. Quem trafega nesta rodovia, há de concordar comigo, que a pavimentação do Bec é péssima. Em menos de 1 ano, onde foi pavimentado há uma quantidade absurda de buracos, o que obriga o motorista a sair fazendo zig zag, correndo o risco de virar o veiculo. Ai vem o Governo e contrata de novo o BEC para asfaltar 65 quilômetros, que já recebeu R$ 75.000.000,00 desta rodovia, no trecho Moraes Almeida – Novo Progresso. Vamos ver quantos anos vamos sofrer para ver este trecho asfaltado, desafiou Peninha.

 O vereador também criticou o 9º Bec, pelo péssimo asfalto que fez na Rodovia Cuiabá-Santarém BR 163 ou BR 230-Transamazônica, trecho Campo Verde Miritituba. O 9º BEC recebeu mais de R$ 41.000.000,00 para asfaltar este trecho e será que preciso dizer como esta. Crateras, buracos, desvios. É uma vergonha e fica por isso mesmo. Ate quando vamos aceitar isto, reclamou o vereador.

As carretas trafegam no zig-zag, o que muitas das vezes para evitar um acidente, temos que procurar o leito da estrada, que já é estreita, para evitar dar de cara com uma carreta. De vez em quando uma carreta tomba. Com o aumento da quantidade de carretas chegando aos portos de Miritituba, a tendência é o trafego nesta rodovia ficar mais perigoso, disse Peninha. 

Estou fazendo um documentário para enviar ao DNIT pedindo providencias e ao TCU-Tribunal de Contas da União para fiscalizar com mais rigor estes contratos e exigir que as empresas e o próprio Exercito faça um serviço de qualidade, pois estão sendo pagos, e bem pagos pelo Governo e temos que fiscalizar porque é nosso dinheiro, somos nós que pagamos e ainda temos que ser humilhados nesta estrada, concluiu pronunciamento Peninha.


Nenhum comentário:

Postar um comentário