RIO TAPAJÓS

quarta-feira, 19 de abril de 2017

PARÁ DEIXA DE RECEBER INVESTIMENTOS DE MAIS DE US$ 1 BILHÃO DE DOLARES.


Venho a algum tempo criticando, denunciando a morosidade do Estado em liberar as licenças ambientais, falou na tribuna o vereador Peninha. Esta demora da liberação de licenças são de empresas, não apenas mineradoras, mas também demais licenças de empreendimentos portuários, pequenos garimpeiros e até dispensa de outorgas de poços artesianos de conjuntos residências, fazendas e etc, tem prejudicado os investimentos na região, afirmou o vereador.

Esta atitude do Estado tem repercutido no mundo, lembrou Peninha. Agora, em Brasília, o embaixador do Canadá no Brasil, RICCARDO SAVONE, quando participava de um encontro  promovido pela Associação Brasileira de Pesquisa Mineral (ABPM) fez duras criticas aos órgãos responsáveis pela licenças ambientais no Pará. Disse Savone que os órgãos responsáveis pela parte ambiental travam a liberação destas licenças e isto tem causado prejuízos para as empresas canadenses juniores que atuam no Brasil. 
Esses projetos não evoluem por causa do licenciamento, disse Savone. Temos investimentos na ordem de US$ 1,2 bilhão e a geração de 2.000 empregos diretos travados devido o atraso na liberação destas licenças, palavras do embaixador, salientou o vereador.
No final do evento, disse Peninha, que o Presidente da associação do setor mineral, Luiz Azevedo, comentou sobre o assunto e disse que temos que construir  o futuro e seguir com o que está acontecendo hoje. São Jobs que o Brasil precisa e que o Canadá se comprometeu a fazer. A vice embaixadora da Australia, Tracy Reid, que também discursou  no evento, pediu maior agilidade no processo de licenciamento dos projetos de mineração no Pais, de forma que o contexto atual prejudica os juniores. Mas ela elogiou  a nova gestão do ministério das Minas e Energia, pois este ministério está interagindo  o que é muito bom para o setor mineral.
Vejam, colegas vereadores, destacou Peninha. O embaixador do Canadá no Brasil, mostrando que empresas canadenses estão deixando de investir no Pará, mas precisamente no município de Itaituba, mais de US$ 1 Bilhão de dólares, por causa da morosidade na liberação das licenças. É uma vergonha. Estas empresas, já deviam está trabalhando, gerando emprego, renda, impostos para o município, Estado e para o Pais, mas infelizmente a questão da licença ambiental está travando estes investimentos no nosso município.




Nenhum comentário:

Postar um comentário