RIO TAPAJÓS

quarta-feira, 8 de março de 2017

AUTORIDADES E SOCIEDADE DEBATEM MEDIDAS PROVISORIAS


Numa iniciativa do Consorcio Tapajós, com apoio da Câmara de Vereadores de Itaituba, Associação Comercial de Itaituba, AMOT e CDL, foi realizada na tarde desta segunda feira, dia 6, uma audiência publica para debater a edição das Medidas Provisórias nº 756 e 758. A audiência foi realizada na Câmara Municipal de Itaituba e foi presidida pelo vereador Peninha. Participaram da reunião, o prefeito de Itaituba,  Valmir Climaco de Aguiar e o vice prefeito de Novo Progresso, Gelson Dill, além de vereadores das câmaras de Itaituba, Novo Progresso, Trairão, Jacareacanga, Aveiro.

O vice prefeito de Novo Progresso, GELSON DILL, fez a apresentação com mapas, mostrando a ampliação dos parques do Rio Novo (Novo Progresso-MP nº 756) e do Jamanxim (Itaituba-MP nº 758). A MP nº 756, que ampliou o Parque Nacional do Rio Novo, abrangeu áreas produtivas agropecuárias, assim como a MP nº 758, que ampliou o Parque Nacional do Jamanxin, abrangeu a Reserva Garimpeira, onde inclusive tem PLG –Permissão de Lavra Garimpeira e sendo implantado um dos maiores projetos minerais da Amazônia, a BRAZAURO.


Este Projeto Mineral da BRAZAURO, a previsão é investir mais de 500 milhões de dólares, porém, com a ampliação do parque do Jamanxim, o projeto está suspenso. Isto está causando prejuízos para a empresa e para a região, pois estava gerando divisas e emprego.
A revolta dos participantes da audiência, é que para a criação de unidades de conservação é obrigatório a realização de audiência publica na área, porém, para a ampliação dos parques do Rio Novo e do Jamanxim as comunidades não foram consultadas.
 Para o vereador Peninha, isto é uma falta de respeito com a população da região e o pior, como criar reservas em áreas já degradadas, pois estas áreas que agora fazem parte destes parques,  são áreas que já tem atividades minerais, agropecuária e etc. Se ficarmos calados, daqui algum tempo Itaituba será doo Km 28 até a beira do Tapajós e ninguém vai mais poder plantar, produzir nada e nem trafegar nas estradas, já que toda a região esta sendo transformada em unidade de conservação.
Para o prefeito de Itaituba, Valmir Climaco de Aguiar, não podemos permiti que estas terras produtivas sejam transformadas em unidade de conservação. Temos que unir nossas forças e lutar para ser revistas estas medidas.
O representante do Consorcio Tapajós, Neri Prazeres, em nome do presidente, Vilson disse que o município de Novo Progresso reagiu imediatamente ao tomar conhecimento destas medidas provisórias. Inclusive, prefeito e vereadores, além de representantes de entidades estiveram em Brasília, onde se reuniram com senadores e deputados federais para proporem emendas a estas medidas.
Varias foram as propostas que apresentamos aos nossos parlamentares, senadores Jader Barbalho, Paulo Rocha e Flexa Ribeiro, assim como os federais, Joaquim Passarinho, José Priante, e Francisco Chapadinha, Zé Geraldo, disse Neri Prazeres. Inclusive estas emendas já estão tramitando no congresso.
No final da reunião, ficou acordado que, assim que forem criadas as comissões com seus respectivos cargos, presidente e relator, por sugestão do vereador Peninha, serão convidadas as comissões para virem debater com a população dos municípios de Itaituba, a medida nº 758 e com a população de Novo Progresso a MP nº 756.


Nenhum comentário:

Postar um comentário