RIO TAPAJÓS

sexta-feira, 15 de abril de 2016

ESTADO NÃO TEM DINHEIRO PARA FAZER HOSPITAL REGIONAL DE ITAITUBA

A conclusão foi feita na audiência publica realizada na manhã desta sexta feira, dia 15 de Abril, na Câmara Municipal de Itaituba, quando o representante do governo do Estado, através da SEVOP falou. O engenheiro Paulo Henrique, responsável pela fiscalização da obra de construção do Hospital Regional do Tapajós em Itaituba, disse que tecnicamente a obra não está parada, mas na engenharia pode a obra está parada.

A audiência publica realizada na manhã desta sexta feira, contou com a presença da representante do Ministério Publico, Dra. Daliana Viana; Deputado Estadual Eraldo Pimenta; Patrick Pinto, Presidente do CDL; Abel Sá, Reitor da FAI; Ana Maria Pedroso, Conselho Municipal de Saúde de Itaituba; João Eudes Gomes de Souza, Presidente da FETRACOM; Raimundo Assis Vilhena, engenheiro da SEPA; Raimundo Macedo, representante do Conselho Estadual de Saúde;  Paulo Henrique, engenheiro responsável pela fiscalização da SEVOP, vereadores Orismar Gomes, Isaac Dias, Iamax Aguiar e Dadinho Caminhoneiro.


Após a explanação sobre o objetivo da audiência, os presentes na audiência se manifestaram. Acusaram o Estado de está enganando a população. Ana Maria do SINDSAUDE, denunciou as informações desencontradas do Estado. Numa avaliação, o relatório revela que 35% está pronta e em outro relatório de avaliação da obra, apenas 32% está concluído. São estas informações desencontradas que deixam a população em duvida sobre a construção do hospital.
A representante do SINDSAUDE ainda revelou que acompanhou desde o inicio o projeto e que o valor da obra é de 120 milhões, sendo que 22% deste, montante será usado em equipamentos. O restante é para a construção civil. Ana ainda afirmou que a previsão de conclusão desta obra era para o 4º quadrimestre deste ano, porém, agopra a previsão de conclusão é para 2017.

O deputado Eraldo Pimenta criticou a falta de compromisso do Estado com a região. Disse que falta vontade e não dinheiro. Eraldo citou, que mensalmente o Estado arrecada mais de R$ 40 milhões de reais em taxa mineral e se tivesse vontade e compromisso poderia usar mensalmente uma parte deste dinheiro para construção do hospital regional do Tapajós em Itaituba.
O vereador Peninha cobrou dos representantes do Estado o valor da obra, quando já foi usado, qual a divida do Estado com a empresa e porque as obras estão paradas. Peninha disse que esta obra foi começada sem o Estado ter dinheiro e hoje o Governo procura motivos para justificar a paralisação.

O representante do Estado, afirmou que o contrato da obra é de R$ 120 milhões e que o Estado está se empenhando em arrumar este dinheiro. Disse que já foram pagos para a empresa R$ 26 milhões e que o Estado deve 6 faturas, no montante de R$ 7 milhões de reais. Estes pagamentos, segundo Paulo Henrique, o Estado vai pagar a partir de Junho.
Paulo Henrique tentou justificar que o atraso da obra não é falta de dinheiro, o que foi contestado pelo vereador Peninha. O edil afirmou que é falta de dinheiro sim. O estado não tem dinheiro para fazer esta obra e somente agora está arrumando, garantiu o vereador.
Também Paulo Henrique tentou justificar, que a obra esta nesta situação por causa do terreno não adequado ao projeto, a falta de técnicas em Itaituba e outros motivos. Mas uma vez o representante do Estado foi contestado pelo vereador Peninha. O vereador disse que o terreno foi escolhido pelo Governo do Estado, então o culpado é o Estado e não a população, ou município, se o terreno não é apropriado. Porém, dizer agora, que o terreno não é adequado, isto no mínimo é brincadeira, classificou Peninha. Sobre as técnicas existentes no município, Peninha garantiu que a empresa sabia das condições, pois os técnicos  devem ter feito visita  a Itaituba para conhecer a nossa realidade. Isto tudo, afirmou Peninha, são justificativas pelo abandono das obras em Itaituba.
O representante do Governo do Estado, Paulo Henrique foi contestado pelos vereadores e pelos presentes na audiência. Patrick, revoltado acusou o Estado de está mentido para o povo de Itaituba. O vereador Isaac Dias foi mais agressivo e acusou o engenheiro de está debochando do Parlamento. Iamax Aguiar acusou o engenheiro de discriminação, pois quando entrou em contato com o representante do Estado, este queria saber qual partido que o edil era filiado.
No final da audiência, falou a promotora de justiça Dra. Daliana Viana. Ela afirmou que provocada pela Câmara Municipal de Vereadores, o MP havia aberto procedimento para apurar a paralização das obras de construção do Hospital Regional do Tapajós em Itaituba. A promotora disse ainda que vai requisitar todos os documentos necessários para apurar a execução desta obra. Revelou que  vai encaminhar documento ao grupo especial do MP no sentido de uma equipe especializada posa vir a Itaituba avaliar a execução das cobras de construção do Hospital Regional.

A Audiência desta sexta feira, foi mais curta, apesar do clima ser mais quente. Começou por volta das 9:30 horas e encerrou por volta das 12 horas.

Apesar de prefeitos e vereadores dos municípios de Jacareacanga, Novo Progresso, Trairão, Rurópolis e Aveiro terem sido convidados, apenas o presidente da Câmara de Novo Progresso, Edemar Oneta esteve presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário