RIO TAPAJÓS

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

CONTINUA O BLOQUEIO NA RODOVIA BR-163

Há alguns meses, moradores das comunidades de Campo Verde e Miritituba estão sendo enganados pelo governo federal, com a promessa do asfaltamento da BR-163 e BR 230, na frente da Vila de Campo Verde, construção das pontes em concreto dos quilômetros 17 e 25 e recuperação do desvio existentes no trecho Itaituba-Distrito de Campo Verde (Km 30).

Cansados de promessas, os moradores resolveram radicalizar o movimento, fazendo um bloqueio na BR -163, no sentido Campo Verde Cuiabá, distante 1 quilometro da Vila de Campo Verde.
Colocaram enormes toras de madeira na pista e barro, para impedir a passagem de veículos. Os ônibus que fazem linha no trecho Pará- Mato Grosso estão sendo o brigados a baldearem. Caminhões com perecíveis também está sendo permitido apenas a baldeação dos produtos. Devido o aterro colocado na pista, nem motocicletas estão passando no bloqueio.




Do local do bloqueio, rumo a cidade de Trairão, já se forma uma vila quilométrica de mais de 12 quilômetros de carretas carregadas de soja e milho transportadas do Mato Grosso, rumo aos portos de Miritituba e Santarém. Do lado oposto, outra enorme fila se formou. Grande parte das carretas e caminhões que após descarregarem suas mercadorias em Santarém e Itaituba, estão paradas no Distrito Municipal de Campo Verde. São centenas de carretas e caminhões aglomeradas naquela vila.



Por outro lado, pelo menos 10 carretas e caminhões carregadas de combustível para as cidades de Trairão e Novo Progresso e para comunidade de Caracol, Mores Almeida, Castelo de Sonhos e garimpos do Tapajós, estão parados na fila. Se o movimento continuar por mais 2 dias faltará combustível nesta região.
No final da tarde de quarta feira, dia 9 ultimo, houve uma sinalização do DNIT com relação ao asfaltamento da Rodovia, em frente o Distrito Municipal de Campo Verde, uma das reivindicações do movimento. Policiais Federais estiveram no local intermediando com as lideranças do movimento e foi repassado ao manifestantes que a empresa Sanches, que se encontra asfaltando a Rodovia, trecho Campo Verde a Ruropolis, fará o asfaltamento dos três quilômetros em frente a vila. Porém, os manifestantes querem um documento assinado pelas autoridades garantindo a pavimentação, uma vez que ja foram enganados outras vezes. Caso isto seja apresentando, os moradores suspendem o bloqueio.


As outras reivindicações dos manifestantes é com relação a construção das pontes em concreto dos quilômetros 17 e 25 e a recuperação do desvio próximo a Vila de Miritituba. Este desvio, há três anos foi construído e até hoje o 9º BEC, responsável pelo asfaltamento deste trecho (30Km) da Rodovia não concluiu a obra, que custaram aos cofres públicos mais de R$ 50 milhões de reais.

 Enquanto isto, as filas, tanto de um lado como do outro, cada momento aumentam mais e a grande preocupação neste momento é para que não haja conflito entre caminhoneiros e manifestantes. A Policia Rodoviária Federal garantiu aos lideres do movimento manter a ordem e segurança no local  sugeriu que fosse aberto uma hora para os carros de um lado passarem e uma hora para os veículos do outro lado, mas os manifestantes discordaram e manterão o bloqueio e ninguém passa.


No final do dia, quarta feira, dia 9, a prefeita Eliene Nunes acompanhada de secretários municipais esteve participando de uma reunião com os lideres do movimento do bloqueio. Na ocasião a prefeita se comprometeu, no prazo de 20 dias recuperar todo o sistema de iluminação publica no Distrito Municipal de Campo Verde, recuperar as ruas daquela vila, assim como também usar madeira aprendida pelo IBAMA para recuperar as pontes da estrada do Pimental.

Nenhum comentário:

Postar um comentário