RIO TAPAJÓS

terça-feira, 26 de maio de 2015

CPI OUVE EMPRESÁRIOS


Na ultima segunda feira, dia 25, a CPI da Câmara Municipal de Itaituba ouviu os depoimentos de vários empresários. Pela manhã foi ouvido o representante da firma Construtora D’Almeida, Saint Clair Tolentino de Souza Filho. A Construtora D’Almeida Ltda, é acusado de favorecimento pela administração da Prefeita Eliene, com a Dispensa de Licitação no valor de R$ 545.136,25 para Operação Tapa Buraco.
O representante da Construtora disse em seu depoimento que é o responsável técnico pela empresa e que a parte financeira a firma é do seu proprietário. Confirmou que a construtora realizou serviços Tapa Buraco na cidade, mas não soube precisar quantos quilômetros e nem as ruas. Apenas citou a Avenida Nova de Santana que foi beneficiada com o trabalho.

O engenheiro civil, também disse que é genro do dono da Construtora e é casado em União Estável com a filha do empresário. Sua esposa é engenheira contratada da prefeitura, mas fez questão de ressaltar, que ela não faz fiscalização nas obras que o pai está executando.

O engenheiro também declarou que, além da Operação Tapa Buraco que a construtora fez, tem outras obras no município. Vale ressaltar, que as obras que a Construtora D’Almeida está fazendo, foram alvos de um processo de Cancelamento de contra com outras empresas que no governo passado foram vencedores de licitações e estavam executando estas Obras. Porém, na pericia feita pelo município, uma das responsáveis, que assinam o laudo é exatamente a filha do empresário Ivan D’Almeida.
Outro que prestou depoimento na CPI foi Pedro Joatan  Passos da Silva, sócio proprietário da firma J.W.MOVELARIA LTDA-ME. Ele disse que a sua empresa participou sozinho no Pregão para a fabricação e instalação de moveis planejados para o município. O  valor de R$ 2.053.385,00, foi o total do contrato, mas de moveis entregues recebeu apenas em torno de R$150.000,00. Só que na CPI ele afirmou que não tem comprovante de todas as entregas dos moveis. Isto deixou  os membros da CPI, de que nem todos os moveis foram entregues em órgãos públicos. Suspeita que alguns moveis foram entregues em alguma residência.

Já Danilo Goes, representante da firma Casa Centro Ltda-ME, disse que ganhou o pregão para prestar serviço ao município com transportes de cargas para o município. Fazia o transportes de material coletado em pacientes e transportava para Belém, onde era realizado as analises(exames). Só que nas atividades desta empresa cadastrados na Receita Estadual, consta que a empresa foi contratada para a publicação de editais, atas de registros de preços, publicações em jornais e etc. Nada a ver com a atividade que a empresa vinha praticando. Todavia Danilo, disse que já havia formulada uma modificação das atividades, assim como também deixou claro que não quer mais vender para a prefeita Eliene Nunes.

Um comentário:

  1. Se há irregularidades acredito que nao seja culpa dos empresarios e sim dos gestores, pois eles estao no comando. CADE A PREFEITA NESSA CPI?? Todos sabem que os empresarios nao estao recebndo nada da prefeitura, senao nao estariam pulando do barco. A prefeitura deve deus e o mundo hoje

    ResponderExcluir