RIO TAPAJÓS

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

NOVAS DENUNCIAS CONTRA A COMTRI

Motociclista em reunião com vereadores
Motociclistas estiveram hoje na Câmara Municipal de Itaituba, onde fizeram novas denuncias contra a COMTRI. Desta vez, foi elaborada uma ata da reunião, onde os motociclistas encaminharam as denuncias e pediram providencias contra a COMTRI.
Segundo o motociclista, Izael Reis dos Anjos, sua moto de placa OFI-5769 foi apreendida há vinte dias atrás, dia 5 de Fevereiro e tentou liberar apresentando defesa. Varias vezes foi a COMTRI para liberar sua moto e foi comunicado que teria que pagar R$ 1.610,00. Reclamou do valor e acabou pagando R$ 1.000,00 para liberar seu veiculo. O interessante, segundo Izael, que o dinheiro foi entregue a própria funcionária, que não deu nenhum comprovante do pagamento.
Outro motociclista que teve sua moto apreendida foi Leandro Pinto Guerreiro. Sua moto ficou apreendida durante 15 dias e pagou R$ 1.035,00. Segundo Leandro, ele ainda conseguiu pagar este valor no banco, mas seus amigos, que tiveram as motos apreendidas, todos estão pagando em dinheiro na COMTRI, sem nenhum comprovante do pagamento.

Um dos assuntos mais discutidos e que foi reconhecido pelos vereadores como exigência absurda, é com referencia ao Art. 4º, inciso I da Lei Municipal nº 2.804/2014. Neste inciso, obriga que o veiculo apreendido fiquem no mínimo 15 dias retido. Este artigo, alegaram os motociclistas na reunião, visa apenas o recolhimento de “propina” na COMTRI, já que este dinheiro não é recolhido no banco em nome do município.
Na proposta, eles querem que a Câmara de Vereadores faça mudança neste artigo, que consideram inconstitucional, porque fere a lei maior, Código Nacional do Trânsito. O município estaria obrigando que um veiculo tenha que ficar no mínimo 15 dias apreendido, é um absurdo, disse Itamar Dias.
 O Presidente em Exercício da Câmara Vereador Isaac Dias, que presidiu a reunião, encaminhou as propostas dos motociclistas para a Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final da Câmara para analisar e emitir parecer sobre o que foi colocado que seria inconstitucional na lei.


Em seguida, os vereadores voltaram a se reunir, já com a diretoria do Sindicato dos Taxistas. Na reunião ficou acertado que na próxima semana será retomada a votação do Projeto de Lei que organiza os serviços de taxis em Itaituba. Uma coisa ficou definido na reunião: que a partir da lei,  as placas vermelhas, ou seja de aluguel, não serão mais expedidas através de autorização, mas sim de CONCESSÃO, que será autorizadas pela Câmara. Esta é uma das formas que os vereadores encontraram para impedir a “farra” das vendas de placas vermelhas em Itaituba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário