RIO TAPAJÓS

terça-feira, 9 de setembro de 2014

CHEQUE MORADIA NÃO TEM VALIDADE EM ITAITUBA

Faltou afinar a musica com o soneto a entrega de mais de 200 cheques moradia em Itaituba. Numa solenidade, com ingrediente politico, a prefeita Eliene Nunes ao lado de vários vereadores da base e mais uma representação do Governo do Estado fizeram a entrega dos cheques moradia para varias famílias residentes na cidade de Itaituba e no Distrito Municipal de Miritituba.
Inicialmente, estamos inclusive apurando, houve varias denuncias que os cheques foram entregues para varias famílias que não se enquadram no programa.
Entre os beneficiados estão proprietários de comércios, de mais de uma casa e de pessoas que possuem uma renda acima do estipulado pelo programa.
Porém, após a festa, veio a desilusão. As famílias procuraram as lojas de material de construção da cidade de Itaituba e as mesmas estão recusando aceitar os cheques moradia, chegando a dizer que desconhecem o programa ou que nunca foram orientados sobre como proceder na aceitação destes cheques.
O assunto foi levado a Câmara de vereadores de Itaituba, pelo vereador PENINHA, que denunciou o constrangimento que as famílias estão passando quando se dirigem as lojas de material de construção. Peninha classificou de irresponsável e precipitado o lançamento do programa em Itaituba, alegando que colocaram a carroça na frente dos bois. Primeiro era para conversarem com os empresários sobre o programa e depois entregarem os cheques moradia as famílias, destacou PENINHA.
Para o vereador Peninha a entrega destes cheques moradia foi apenas mais um ato politico e não social, porque estão iludindo estas famílias com dinheiro que não existe, já que elas não podem trocar o cheque. Este cheque é compensado com a ser descontando no ICMS do contribuinte, neste caso o comerciante que aderiu o programa, ressaltou Peninha.

O pior, garante o edil, é que a pessoa é obrigada a trocar este cheque somente na loja credenciada, neste caso em Itaituba, nenhum comercio está aceitando, por falta de sintonia com quem distribuiu os cheques.  No caso de aceitar o cheque, a família se submete a comprar o produto pelo preço que o comerciante quiser. Como exemplo, citou o PENINHA, uma telha brasilit que custa no dinheiro R$ 11,00 se for com o cheque moradia vai custar muito mais. O certo, era este cheque ser transformado em dinheiro e a pessoa ter o direito de escolher onde querer comprar os produtos necessários para a reforma de sua casa, finalizou PENINHA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário