RIO TAPAJÓS

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

JUSTIÇA MANDA LANCHA ANA KAROLLYNE PARAR

Lancha Karollyna (Lancha que saiu do serviço)
Na tarde de ontem, na cidade de Santarém, a justiça estadual concedeu liminar a empresa Diniz à explorar com a lancha Princesa do Tapajós, a linha entre Santarém-Itaituba-Santarém. Na mesma decisão a justiça determina que a Lancha Ana Karollyne deixe de fazer a referida linha.

A decisão da justiça repercutiu na Câmara Municipal e na cidade de Itaituba. O vereador Peninha usou a tribuna para criticar a ARCON, acusando de ser a responsável ou irresponsável pelo que vem acontecendo nesta linha fluvial de Itaituba-Santarém-Itaituba. Peninha disse que a ARCON vem empurrando com a barriga esta questão, pois já deveria ter realizado a licitação para a exploração desta linha. Porém, o que estamos vendo hoje é permissões para fazer esta linha, o que deixa muito a vontade a exploração.
Vereador Peninha na Tribuna cobrando sobre as lanchas.
A empresa Diniz, entrou há anos com um Mandado de Segurança, pedindo liminar e somente agora foi concedida, entretanto, reconhece o edil, que ordem judicial se cumpre, mas que não tem sustentação esta decisão, já que a empresa Diniz não tem concessão e sim permissão e não é com exclusividade.
 O vereador anunciou uma reunião marcada para o dia 28 de Agosto, às 10 horas na Câmara Municipal de Itaituba para que o caso, não apenas seja discutido, mas resolvido. Para isto, estão sendo convidados os Diretor Geral da ARCON, Secretario Estadual de Infraestrutura, Ministério Público Estadual, Capitania dos Portos, AOB, proprietários das empresas de navegação, outras autoridades e o povoem geral.
Princesa do Tapajós (Lancha autorizada pela Justiça)
Peninha afirmou que nesta reunião tem que haver decisão. O que não podemos mais é ficar um órgão empurrando para o outro a responsabilidade. Como não há concessão exclusiva na linha, o edil acredita que no momento a melhor decisão era ter duas lanchas por dia. Duas saindo de Santarém e duas saindo de Itaituba. Quem vai escolher em quem viajar é o passageiro. Uma coisa é certa, ressaltou Peninha, o que não podemos é retirar uma lancha que tem capacidade para 300 passageiros e leva 7 horas de viagem para colocar uma lancha com capacidade para 70 passageiros e que leva 12 horas. Isto é um retrocesso para Itaituba e não vamos aceitar. Que nos desculpe as autoridades, mas temos que defender nossa população. Queremos que a embarcação tenha segurança, conforto e rapidez. Não interessa de quem seja a embarcação, concluiu Peninha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário