RIO TAPAJÓS

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

BUNGE FATUROU EM 2013 NO BRASIL MAIS DE R$ 35 BILHÕES DE REAIS.

Na tarde de ontem, na Vila de Miritituba, representantes da Fundação Bunge estiveram reunidos com moradores das comunidades dos Distritos Municipais de Miritituba e Campos Verde, além de representantes de Associações Comunitárias de Itaituba e vereadores. Na ocasião, foi feita a apresentação do perfil do município de Itaituba e o que a Fundação Bunge pretende fazer para diminuir estes problemas sociais. Serão investidos em 5 anos, R$ 8 milhões de reais em Miritituba e Barcarena, sendo que a maior parte destes recursos deverão ser aplicados em Miritituba, segundo a representante da Fundação. Vamos ajudar a combater os problemas sociais destes municípios, afirmou a representante da Bunge.

Na explanação, a representante da empresa mostrou o faturamento da Bunge em 2013. Revelou que a empresa atua em 40 países nos diversos ramos do agronegócio e que o faturamento bruto no mundo em 2013 foi de U$ 61,3 bilhões de dólares e somente no Brasil, onde possui 150 negócios faturou R$ 38,1 bilhões de reais em 2013.
A empresa está investindo no Estado do Pará, R$ 700 milhões de reais, com empreendimentos em Miritituba e em Barcarena. Em Miritituba, segundo representantes da empresa, a Bunge está fazendo seu maior investimento do Pará e o seu porto já está funcionando com previsão de exportar anualmente 4 milhões de toneladas de grãos por ano, como soja, milho e farelo.
Para fazer este transporte de  grãos do Porto de Miritituba à Barcarena, a empresa  dispõe de 42 barcaças de 100  mil toneladas cada uma, que fazem esta viagem em 3 dias e meio( 80 horas), numa extensão de 1.000 quilômetros.

Após a explanação dos representantes da Fundação, foi aberta a palavra aos presentes, quando vários questionamentos foram feitos, entre eles a falta de publicidade daquela reunião. Os presentes criticaram que faltou comunicação para que a população participasse daquela reunião.

O vereador Peninha, um dos participantes, se mostrou preocupado com a aplicação$ 8 milhões, pois lembrou que no ano de 2013, a prefeita Eliene Nunes assinou um convênio com a ATAP, entidade que representa os empresários portuários, no valor de R$ 12 milhões em demandas que foram apresentadas apenas pelo Poder Executivo, sem a presença das comunidades da cidade, Miritituba ou Campo Verde e que até agora nenhum beneficio deste convênio chegou ao município de Itaituba. A discussão foi as portas fechadas, no Hotel Apiacas, onde ninguém sabia, afirmou o edil. Peninha pediu para que não se repita este método na aplicação destes R$8 milhões. Que seja discutido com a população este investimento, priorizando os mais graves problemas sociais, pediu Peninha.
 Na manhã de sexta feira, a reunião foi na Câmara de Vereadores, com os edis e vários segmentos da sociedade. O projeto foi apresentado aos presentes e o vereador PENINHA pediu uma cópia do convênio ao Secretario de Meio Ambiente, Valfredo Marques e à vereadora Célia Martins, vice líder do Governo na Câmara. PENINHA alegou que já procurou cópia do convênio na Câmara e até agora não encontrou e apelou para o presidente vereador Wesley Aguiar, que ficou de conseguir a cópia. A comunidade também desconhece este documento que foi assinado pelo município e a associação dos empresários portuários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário