RIO TAPAJÓS

quinta-feira, 13 de março de 2014

CONSÓRCIO TAPAJÓS DISCUTE ELABORAÇÃO DE AGENDA PRÓ-DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO.



Promovido pela Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração, começou hoje pela manhã no auditório do IFPA,  o 1º Seminário para a Elaboração de uma Agenda Pró-Desenvolvimento Territorial para a Região do Tapajós. A reunião tem o apoio do Consórcio dos Municípios do Tapajós e da SEICOM municipal de Itaituba e, vai até sexta feira, dia 14.
A abertura contou com a presença do Presidente do Consórcio Tapajós, prefeito de Jacareacanga, Raulien  Queiroz; Secretaria Adjunta da SEICOM Estadual, Maria Amélia Enriquez; Secretário Estadual de Energia, Nicias Ribeiro; Superintendente do SEBRAE no Pará, Vilson João Schuber; Diretor Executivo do Consórcio Tapajós, Heraldo Pimenta, prefeitos dos municípios de Novo Progresso e Trairão, além de vereadores , empresários da região, professores e alunos do IFPA.

                                                          (Nicias, Secretario de Energia)

A Secretaria Adjunta da SEICOM Estadual, Maria Amélia falou da importância deste primeiro encontro e afirmou que o Governo do Estado é parceiro dos municípios da região para trazer o desenvolvimento sustentável. Maria Amélia ressaltou os grandes projetos que estão sendo implantados em Itaituba e Região, como os portos de Miritituba, que quando estiverem operando, as carretas vão economizar em torno de 1.000 quilômetros para fazer os grãos chegarem aos navios de grande calados que irão transportar os produtos para a Europa. Falou da importância da garimpagem  e que o Estado não tem medido esforços para legalizar esta atividade. Maria Amélia frisou que existe no Tapajós em torno de 500 pistas,  2.000 pontos de garimpos e cerca de 70 mil pessoas trabalhando nesta atividade. Porém, lembrou que está longe da garimpagem ser legalizada, pois 10 mil processos tramitam no DNPM e apenas 500 estão em fase de analise, porém estamos trabalhando para legalizar esta atividade.
                                                     (Autoridades presentes no encontro)
O Secretario Estadual de Energia, Nicias Ribeiro, que foi bastante aplaudido, profundo conhecedor do assunto (energético) foi o segundo palestrante do encontro. Nicias Ribeiro, disse que  o Brasil vive hoje no “gargalo” com fornecimento de energia elétrica e se não aumentar a produção de energia, o País vai entrar em  colapso. O Brasil precisa hoje de 4% a 4,5% de nova geração de energia para poder crescer. O Brasil precisa de pelo menos agora 4.000 mwatts por ano, afirmou Ribeiro.
                                                             (Participantes do encontro)
Muita gente se manifesta contra a construção de hidrelétricas. Isto ocorre porque esta gente não tem  conhecimento, pois é o meio mais limpo de gerar energia. Para o ex-deputado estadual e federal, Nicias, Altamira como Itaituba estão vivendo seus melhores momentos e os municípios têm que tirar proveito destes empreendimentos, cobrando benefícios na infraestrutura, saúde, educação e etc. As hidrelétricas vão ser construídas, afirmou Nicias Ribeiro, porém a sociedade deve apresentar suas obras de  prioridades para constar no PLANO  DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTAVEL. Por isso é importante, que se abra uma discussão das autoridades com a sociedade para elaboração deste plano. As necessidades devem constar neste plano para garantir as obras, acrescentou o Secretario Estadual de Energia. Os municípios, principalmente Itaituba, tem que se preparar para estes projetos, pois só a construção da Hidrelétrica de São Luiz do Tapajós vai empregar em torno de 38 mil pessoas e, esta gente vai trazer mulher, filhos e onde vão ser alojadas, indagou Nicias.

                                                (Presidente do Consórcio - Raulien Queiroz)
O Secretario de Energia também salientou que hoje, o Pará contribui com 25%, da energia do País, apenas com a  energia gerada pela hidrelétrica de Tucuruí. Quando estiverem funcionando a Hidrelétrica de Belo Monte, o Complexo Hidrelétrico do Tapajós, e as Usina de Teles Pires, o Estado do Pará vai gerar 60% da energia do País. Só a Hidrelétrica de Belo Monte vai gerar mais de 10.000 mwatts e vai custar R$ 32 bilhões de reais. A hidrelétrica de São Luiz do Tapajós vai gerar  6.133 mwatts e custar em torno de R$ 41 bilhões de reais e, a hidrelétrica do Jatobá, 2.338 mwatts. O Estado do Pará, afirmou Nicias Ribeiro, possui o maior potencial hídrico do Planeta (mundo) e temos que aproveitar esta riqueza, este potencial, que Deus nos deu, concluiu o Secretario.

                                           ( Dra Maria Amelia, Secretaria Adjunta SEICON)
O Secretario afirmou que os estudos EIMA E RIMA  da Hidrelétrica de São Luiz do Tapajós já estão prontos e que estão sendo encaminhados para ANEEL e IBAMA. Acredita Ribeiro que depois das eleições começam a ser realizadas as audiências públicas para discutir a  construção  da hidrelétrica de São Luiz do Tapajós. O leilão para a construção da Hidrelétrica de São do Tapajós, se tudo ocorrer dentro do previsto, deverá ser realizado em 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário