RIO TAPAJÓS

domingo, 23 de fevereiro de 2014

TRIPLO ASSASSINATO ABALA ITAITUBA

O sábado, dia 22, seria igual aos demais em Itaituba, até às 18h: 00m, quando foram encontrados três corpos no interior da Loja Belíssima, na Travessa Victor Campos, no centro da cidade. A Travessa ficou interditada e muitas pessoas queriam entender o que havia ocorrido. A advogada e Procuradora do Município de Itaituba, Leda Marta Lucyk dos Santos, sua filha Hanna de 10 anos e a funcionária da Loja Belíssima, Taina Siqueira, foram assassinadas a facadas. A advogada e sua filha Hanna com 4 facadas, e a criança foi morta na própria cama. A funcionária Taina estava com varias facadas e foi morta no interior da loja, e arrastada para parte de trás da loja.


FATO: Por volta de 08h: 48m, um rapaz de boné, trajando calça Jens, bota e camisa manga cumprida, listrada de preto e branco, conduzindo uma sacola plástica na mão,  caminhava normalmente pela calçada da Travessa Vitor Campos, sentido Avenida Hugo de Mendonça/Nova de Sant ‘Ana e quando chegou em frente a boutique Belíssima, bateu na porta de vidro, como quem quisesse comprar algo e quando a advogada Leda abriu a porta o assassino adentrou, ficando  um bom tempo no interior da boutique sem nada ser percebido pelos vizinhos da loja. Já por volta das 09h: 08m a funcionária da boutique chegou, com sua chave abriu a porta e entrou na loja, sem que nada fosse desconfiado do que já havia ocorrido no interior do comércio e no fundo, onde havia um apartamento que a advogada Leda e sua filha Hanna moravam. Por volta das 09h: 26m, o rapaz saiu, fechando a porta pelo lado de fora, já sem boné e vestindo uma camisa de cor branca de manga curta. Tudo registrado pelo sistema de filmagem de uma loja ao lado
Por volta das 18h: 00m, parentes da funcionária da Loja,  se mostraram preocupados com a mesma, pois não aparecera para almoçar. Ligaram varias vezes para o celular e não atendia. Preocupados, se deslocaram até a boutique e ao chegarem ao comércio perceberam que a porta estava fechada. Pela porta de vidro viram no interior da loja manchas de sangue no chão, foi quando chamaram a policia e o corpo de bombeiro. Imediatamente chamaram um chaveiro que abriu o comércio e ao entrarem viram os corpos da advogada estirado no chão da parte de trás do comércio, o corpo da menor estirado na cama e o corpo da funcionária estirado no corredor, entre a loja e o apartamento aos fundos do comércio. Todos os corpos com varias facadas. Ai começou o corre-corre e muitas pessoas fizeram vigília em frente ao comércio da advogada. Foi acionado o Instituto Médico Legal, para remover os corpos, e imediatamente a policia se deslocou até o apartamento do ex-marido, Altair Santos, que também é advogado, e que mora em um apartamento do Edifício BALBY, na Avenida Manfredo Barata (Nova Avenida), Bairro Boa Esperança. Quando a policia chegou, o advogado estava na frente do prédio chorando bastante e foi conduzido para seu apartamento para já ser interrogado. Depois de alguns minutos, o advogado Altair foi levado para a delegacia de policia para prestar depoimento, visto que ele é o principal suspeito de mandar matar a ex-esposa Leda dos Santos, da qual estava separado. Existem informações que o mesmo a ameaçou várias vezes, conforme mensagens salvas no celular da procuradora e um dossiê, que a advogada elaborou contra o ex-marido, e que está em poder de uma amiga da vítima.
HISTÓRICO DO CRIME
O triplo assassinato está sendo investigado pela policia, que levanta varias hipóteses. A primeira delas conforme as filmagens, o homem que aparece e que entrou na loja é o  assassino, e deixa claro que não foi o advogado Altair, ex-marido de Leda que praticou o  crime, pois o homem que aparece nas imagens é de cor clara, magro, e aparenta ter em torno de 30 anos. Há a hipótese de que possa ser alguém que tivesse um relacionamento mal resolvido com a funcionária da loja, o qual praticou este triplo assassinato. A outra hipótese, é que o autor do crime possa ter sido contratado pelo advogado Altair para matar a esposa e lá matou também a filha e a funcionária da loja, que chegou na hora e para não ter testemunha a executou.

O CRIME ABALOU ITAITUBA
A população está perplexa com o triplo assassinato, pois a advogada Leda Marta Lucyk dos Santos é querida pelos colegas de profissão e de trabalho. A advogada é concursada do município de Itaituba desde 1998, quando foi realizado o primeiro concurso público do município. É paranaense e além de desempenhar o cargo de Procuradora do Município, era dona da Boutique Belíssima. Já o ex-marido, Altair dos Santos, que foi militar do 53º Bis, trabalha como advogado, com escritório da Avenida Haroldo Veloso, onde também a advogada Leda prestava serviço. Estavam separados há um ano, mas o advogado Altair não aceitava a separação. Da união, eles tinham a filha de 10 anos, que também foi assassinada cruelmente com quatro facadas no peito. Os corpos da Advogada Leda e da filha foram levados na manhã deste domingo para a cidade onde seus familiares moram, no Estado do Paraná. Já o advogado Altair, ficou em Itaituba, onde está sendo investigado.
FACA DO CRIME
A Policia continua a procurar imagens gravadas nos circuitos dos comércios na redondeza do local do crime para melhor identificar o criminoso. A faca usada para a pratica do triplo assassinato foi encontrada dentro da lixeira da Loja da Confecções Celma. Trata-se de um faca de aproximadamente 20 centímetros, com cabo de madeira. A policia encaminhou a mesma para pericia no IML. A policia acredita, que o assassino, saiu do local do crime com a faca na cintura e ao chegar nas proximidades da Confecções Celma, na esquina da Praça do Congresso, tenha se livrado da arma. Também a policia está investigando para saber se o criminoso apanhou um mototaxista para sair da região do crime ou alguém tenha lhe dado apoio na execução da missão.



Um comentário:

  1. FEMINICÍDIO

    Nunca imaginei que pudesse vir a escrever sobre esse assunto. Mas as estatísticas nacionais são muito mais fortes.
    No último sábado (22.02) minha colega de turma Leda Marta (Universidade Estadual de Ponta Grossa-Paraná), a filha dela Hanna Estela e uma funcionária de sua loja, Taynara Siqueira, em Itaituba (PA) foram brutalmente assassinadas em circunstâncias que levam a crer serem elas vítimas de feminicídio.
    Estima-se que sejam 5.000 mulheres ao ano no Brasil vítimas de crimes que são geralmente perpetrados por homens, principalmente parceiros ou ex-parceiros, e decorrem de situações de abusos no domicílio, ameaças ou intimidação, violência sexual, ou situações nas quais a mulher tem menos poder ou menos recursos do que o homem.
    A distância geográfica em relação ao município paraense não afasta o fato de que a violência contra a mulher ainda é aceita culturalmente em todas as regiões brasileiras. "A violência contra a mulher compreende uma ampla gama de atos, desde a agressão verbal e outras formas de abuso emocional, até a violência física ou sexual. No extremo do espectro está o feminicídio, a morte intencional de uma mulher. Pode-se comparar estes óbitos à “ponta do iceberg”. Por sua vez, o “lado submerso do iceberg” esconde um mundo de violências não-declaradas, especialmente a violência rotineira contra mulheres no espaço do lar". (http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/130925_sum_estudo_feminicidio_leilagarcia.pdf).
    Os colegas e amigos de Leda já estamos nos mobilizando para que esse crime não fique impune e para que esse tipo de violência não fale mais alto do que o direito à própria vida das mulheres.
    http://www.oabpa.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4109%3Aasdasdasd&catid=48%3Amanchete

    ResponderExcluir