RIO TAPAJÓS

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

ACORDA ITAITUBA II


Roubo de Celular em Itaituba
Dando continuidade a matéria publicada, hoje, abordamos outra questão crucial em nosso município, que é a violência. Todos os dias o uvimos conversa de que fulano foi assaltado, cicrano foi assaltado . Eu mesmo senti na pele a violência. Na semana passada, meu filho de 16 anos estava sentado na calçada na esquina da nossa residência, conversando com uma amiga, quando dois indivíduos de capacete em uma moto,pararam e anunciaram o assalto. Um deles suspendia a camisa e mostrava o revolver na cintura.
O mais interessante bem ao lado da Praça Celso Mateus, onde tinha bastante gente, mas os bandidos não se intimidaram e levaram o celular do meu filho e da sua amiga. Ai me perguntaram. Já foste na delegacia registrar queixa. Eu respondi e adianta. Estes bandidos são presos pela manhã e a tarde estão soltos novamente. É raro o dia que não se ouve falar de um assaltante que levou o celular de sua vitima. Mas, não é apenas aparelho celular que os bandidos estão levando. Assalto para levar bicicletas e motocicletas. O pior, a luz do dia. Nos últimos meses a cidade de Itaituba tem vivido está falta de segurança. É roubo. É assalto. Até quando vamos ser reféns destes bandidos?
Porém, outra violência generalizada em nossa cidade, que também vem ocorrendo no Brasil, mas o que interessa é aqui, são os acidentes de trânsito. Alguma coisa tem que ser feita. Não Apenas apreender o veiculo ou multar, mas aplicar penalidades mais severas. Os pais, que dão moto ou carro para os filhos de menores dirigirem, devem ser responsabilizados. O que não pode é hoje assistirmos vidas sendo ceifadas e não fazermos nada. Nos finais de semana, quando não há quase fiscalização, a emergência do Hospital Municipal fica lotada de acidentados. É quando se registra o maior índice de acidentes.

No dia a dia nem se fala e nada se faz. O trânsito, que já era precário agora ficou pior. São semáforos queimados. Falta de sinalização nos cruzamentos e engarrafamentos por causa da falta de uma organização efetiva dos responsáveis pelo trânsito. Nas margens das ruas, se formam muitas das vezes dois ou mais estacionamentos. As motos tomam espaço dos carros. Não há lugares  determinados para os estacionamentos de carros e motos. No porto da balsa, se formam até três filas. Uma, dos caminhões e micro ônibus que aguardam o dia inteiro para  a tarde seguir viagem. Outra, dos carros que de imediato vão embarcar na balsa e a outra fila dos veículos que trafegam pela Avenida Getulio Vargas. Até quando vamos ver gente morrendo em nosso trânsito?.
Acidente em Frente o Duvalle

Nenhum comentário:

Postar um comentário