RIO TAPAJÓS

quinta-feira, 30 de maio de 2013

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ACABOU EM VAIA

A Conferência Municipal de Educação de Itaituba, realizada aos dias 28 e 29 de Março deste ano, no antigo Chapéu do Povo, acabou com muitas vaias na Secretária Municipal de Educação, professora Ana Paula. Durante dois dias, professores, técnicos e demais profissionais da Educação do município de Itaituba participaram diretamente da conferência para aprovarem propostas que serão apresentadas na Conferência Estadual e Nacional. Mas o que chamou a atenção de todos foi o controle rigoroso da presença dos professores no encontro. A presença controlada dos professores com cartão magnético foi considerado um ato de PRESSÃO para que técnicos e professores participassem da conferência, num ato de obrigatoriedade. No último dia, quando já por volta das 21:00 horas, todos os presentes cansados e com fome, a professora Célia Martins, hoje vereadora, e que também estava na função de delegada do evento, sugeriu para que encerrasse a votação para continuar no dia seguinte, proposta não aceita por demais delegados. Em seguida, a vereadora sugeriu então que fosse feito um intervalo e que servisse um lanche a todos os presentes, que estavam ali reunidos desde às 8:00 horas da manhã para que em seguida continuassem a votação das propostas. A Secretária de Educação, professora Ana Paula, num gesto grosseiro e deselegante, pegou o microfone e disse que o lanche só seria servido para os delegados e para ninguém mais. Foi o suficiente para ela levar uma vaia que só acabou depois que os técnicos, professores e demais servidores da educação, que não estavam delegados, se retirassem do local do evento. Quando isto aconteceu, esvaziou a conferência que acabou em vaia. Num ato desumano, a Conferência encerrou por volta das 4 horas da manhã, do dia 30/05/2013, sem a assembléia que não pode mais acompanhar a votação das propostas. A falta de planejamento para a realização desta conferência foi constatada desde a sua abertura feita a partir das 16 horas do dia 28. Confusão se generalizou no ato da entrega dos “cartões magnéticos”, o chamado credenciamento, formando grande tumulto e descontentamento dos profissionais da educação, além da fila imensa para poder registrar o cartão na entrada. Coisa humilhante para uma categoria esclarecida e merecedora de respeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário