RIO TAPAJÓS

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

PARÁ E MATO GROSSO DISPUTAM 2,2 MILHÕES DE HECTARES DE TERRA



O Ministro do STF, Marcos Aurélio Melo deu novo prazo para as alegações finais das procuradorias dos estados do Pará e do Mato Grosso se manifestarem sobre o limite entre os dois Estados.
A briga vem se arrastando no STF- Supremo Tribunal Federal desde Abril de 2004.
O Estado do Mato Grosso quer ganhar uma área de 2,2 milhões de hectares situada na divisa entre os dois estados,na Floresta Amazônica.
O  grande gargalo da briga é que na Carta elaborada pelo IBGE, foi considerado como ponto inicial do extremo oeste a denominada Cachoeira das Sete Quedas e não o Salto das Sete Quedas.
A Procuradoria do Pará alega que o Salto da Sete Quedas mencionado no acordo como sendo o ponto extremo Oeste da linha divisória é atualmente denominada Cachoeira das Sete Quedas, tendo havido simplesmente mudança de nome sem qualquer  alteração no posicionamento geográfico.
O Estado do Mato Grosso se vale do coincidência de inversão topônico do acidente ocorrida resultante de trabalho de atualização realizado para legitimar suposto erro do IBGE na fixação dos marcos divisórios o que caracteriza litigância de má fé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário