RIO TAPAJÓS

sexta-feira, 6 de abril de 2012

EMPRESAS AMEAÇAM ADIAR INVESTIMENTOS EM MIRITITUBA


Caso o Governo do Estado, através da SEMMA, continue dificultando a liberação da prévia licença ambiental da construção dos portos em Miritituba, os empresários ameaçam adiar os investimentos e buscar outras alternativas para o escoamento dos grãos do Mato Grosso via Itaituba. A ameaça foi feita pelos empresários durante a reunião em Belém com os Secretários de Estado do Governo, quando foram tratados os assuntos sobre o Projeto dos Portos em Miritituba.
Ainda em Belém, os empresários criaram uma associação das empresas portuárias de Miritituba, para que, unidos, possam buscar a solução dos entraves na construção dos portos.
O empresário Kleber Menezes, representando a BUNGE-TERFRON, disse que há mais de 8 meses realizou as audiências públicas, e até o momento, a SEMMA do Estado, se quer, respondeu uma linha sobre o empreendimento. Esta é a grande dificuldade que temos na construção dos portos em Miritituba. O Estado não se manifestou até hoje se é a favor ou contra nosso empreendimento.
As empresas estão fazendo  há algum tempo, grandes investimentos, como a compra de terreno por mais de 4 milhões de reais, há empresas construindo os outros portos de apoio na Vila do Conde e até em Macapá, como é o caso da empresa Hidrovias do Brasil, que está investindo mais de 600 mil na construção do porto  na Vila do Conde-Barcarena , e a Cianport,  que está construindo seu porto em Santana, Macapá.
Os portos de Miritituba não serão apenas para o transporte dos grãos do Mato Grosso para a Europa, mas para exportação do cimento da CAIMA para o Centro Oeste, o transporte de mercadorias do resto do Brasil para a Zona Franca de Manaus e vice versa. Este é o caso dos portos CHIBATÃO, que é um dos maiores de Manaus e que  serve para importar e exportar todos os tipos de mercadorias, ligando os quatro cantos do Pais com Manaus.
Hoje a construção desses portos em Miritituba, no município de Itaituba, no Pará tem preocupado muitos grupos econômicos, como o caso dos que atuam no Porto de Paranaguá e até mesmo de Santarém, que inclusive já demonstraram a preocupação com a construção dos porto.
O importante é que os empresários estão determinados a fazer o investimento em Miritituba, porque é o melhor e mais curto caminho para exportar os grãos para Europa. Segundo os empreendedores, as despesas serão menores, por causa do tempo, que para eles é precioso e por Miritituba vai encurtar bastante a viagem.

Um comentário:

  1. Essa Semma do estado é uma vergonha.Eles não tem estrutura para fiscalizar em nível de estado e com isso estão emperrando nosso desenvolvimento.O governador Simão jatene está provandop com isso que não foi á toa que impediu a criação do novo estado do Tapajós.Deve repetir mesmo fiasco administrativo do seu governo anterior quando também esqueceu de Itaituba...

    ResponderExcluir