RIO TAPAJÓS

quinta-feira, 19 de abril de 2012

CÂMARA DISCUTIU PREÇO DE CIMENTO EM ITAITUBA


Zonon, Ver. Mª Almeida, Ver. Raimundo, Dr. Marcilio, eu (Peninha) e Ver. César.
Foi realizada hoje pela manhã na Câmara Municipal de Itaituba, uma audiência para discutir o preço do cimento vendido pela fabrica em Itaituba. A audiência pública reuniu diretores da ITACIMPASA, comerciantes e representantes de entidades. A reunião foi presidida por mim vereador Luiz Sadeck (Peninha), autor do requerimento que provocou a audiência pública.

O diretor executivo da empresa, Marcilio Jacques Brotherhood disse que após a nossa conversa em Belém, que cobrei um preço mais barato da saca de cimento vendido em Itaituba, realizou um estudo e foi possível diminuir em R$ 0,50 o preço da saca. Antes a saca de cimento com 50 quilos custava R$ 24,57. Hoje custa na fabrica em Itaituba R$ 24,07.

Elizeu Zanon, Dr. Marcilio e eu (Peninha).
Com referência ao preço do cimento, que segundo denuncia era vendido em Santarém mais barato que em Itaituba, Marcilio disse que desconhece, pois o depósito da empresa em Santarém vende a R$ 25,57 a saca. Então não é o possível o cimento ser mais barato. Porém, Marcilio ressaltou que só se é o caso do revendedor vender mais barato, tendo uma margem de lucro bem pequena.

Entretanto o diretor executivo da empresa, Marcilio Jacques não se restringiu em comentar somente sobre o preço do cimento. Também falou sobre os benefícios que o município tem com a fabrica. Disse que a fabrica gera hoje 622 empregos, que em 2011 custou à empresa uma folha de pagamento de R$ 8.554.000,00. Também Marcilio revelou que hoje a fabrica está produzindo anualmente 16 milhões de sacas de cimento e a previsão em 2012 é aumentar para 22 milhões de sacas. Para isso, salientou Marcilio, a empresa está investindo na ampliação da fabrica mais de 100 milhões de reais.

Elizeu Zanon, Dr. Marcilio, eu (Peninha) e Vereador João Rodrigues.
Um dos pontos importantes da audiência foi com relação à isenção de tributos municipais que a fabrica tem.  Marcilio disse que esta isenção municipal não significa absolutamente nada aos cofres públicos, perante o que nós recolhemos. Deu como exemplo a taxa de iluminação pública, que a empresa paga mensalmente R$ 1.600,00 e não existe esta iluminação pública, já que a fabrica fica localizada em área rural. Outra colocação feita por Marcilio foi com referência ao ISS. Disse que a fabrica repassou ao município R$ 1.115.000,00 de ISS retido na fonte das empresas prestadoras de serviço. Todavia, Marcilio alegou que a empresa hoje é a maior contribuinte de ICMS em Itaituba, tendo recolhido aos cofres do Estado em 2011 mais de 12 milhões de reais. Deste montante, o município de Itaituba recebeu sua cota parte. Com isso podemos dizer que estamos contribuindo com o município, que em 2011 recebeu de ICMS repassado pelo Estado mais de R$ 12 milhões.

 A reunião durou mais de 4 horas e contou com a presença de 10 vereadores dos 11 que compõem a casa legislativa municipal. Ausente apenas o vereador João Crente, que se recupera de uma AVC que sofreu. Também participou da reunião o Presidente da Subsecção da OAB em Itaituba, advogado Hélio Machado e o diretor de negócios do Cimento Nassau Eliseu Zanon.





Nenhum comentário:

Postar um comentário