RIO TAPAJÓS

segunda-feira, 4 de julho de 2011

REVIRAVOLTA NO PROCESSO ELEITORAL EM MIRIRITUBA

Ganhou mas não vai levar . Esse é o fato que causou reviravolta no processo eleitoral para eleição de escolha da Nova Diretora da Escola Nova Integração em Miritituba. Isso significa sem efeito o resultado, que a professora Célia Martins obteve. Devido à professora Célia Martins não trabalhar na escola Nova Integração pelo menos seis meses, assim como também não possuir o curso de Pedagogia com Gestão em Administração Escolar, fez com que a Secretaria de Educação tomasse a decisão de que no caso invalide os votos da primeira colocada e seja nomeada a segunda colocada, para assumir a direção da Escola Nova Integração. Nesse caso será nomeada a atual Diretora professora Beatriz Siqueira segunda colocada.
Na mesma situação está o Diretor da Escola Antônio Gonzaga Barros, professor Antônio Carvalho Lima, que ganhou a eleição, mas não poderá exercer o cargo , que já vem assumindo há vários anos, porque não possui gestão escolar. Essa exigência contem num decreto lei que normatiza as eleições nas escolas municipais, assim como também o Plano de Cargos , Carreira e Renumeração da educação.(PCCR). Por este motivo quem será nomeado diretor da Escola Antonio Gonzaga Barros, será o segundo colocado, professor José Domingos Trindade Ferreira
Também na Escola Mão Cooperadora localizada na 11ª rua, a professora Cleide Possiadlo disputou a eleição com uma liminar e foi eleita, mas também não será nomeada para o cargo. A professora Cleide é efetiva do município, mas com nível médio,  que infringe o PCCR e o decreto Lei. Neste caso assume a 2ª colocada professora Odeize Miranda
Na escola Magalhães Barata quem foi eleita a chapa I encabeçada pela professora Joelma Ivalene Góes Braga, que está apenas cinco meses na escola sem prazo legal conforme determina a Lei nº 1098/90 que determina que para qualquer professor sair candidato tem que estar trabalhando cerca de seis meses na escola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário