RIO TAPAJÓS

quinta-feira, 5 de maio de 2011

UNIÃO DOS SINDICATOS QUE PARECIA UM CASAMENTO PERFEITO ACABOU POR INCOMPATIBILIDADE DE GÊNIOS



O episódio no SINTEP onde o Presidente Isaac Dias quase parte para agressão física contra Frankeline Lima, presidente do SINSERMI deixou claros indícios que os sindicalistas foram colocados em plano secundário prevalecendo à luta pelos interesses.

A lua de mel sindical que pretendia fortalecer a luta entre SINTEP, SINSERMI e SINDISAUDE que parecia um casamento perfeito terminou em briga por incompatibilidade de gênios após Isaac Dias agredir asperamente Frankeline Lima, presidente do SINSERMI em plena Assembléia deliberativa com a sede do SINTEP lotada.

A maioria dos professores, servidores da saúde e administração direta consideraram a cena como “um espetáculo deprimente”!. A cena lamentável poderia ser evitada, mas a estratégia do presidente do SINTEP em unir os três sindicatos foi um verdadeiro tiro no pé. Primeiro porque não fazia sentido já que cada Sindicato teria que defender seus próprios interesses já que cada segmento profissional desse tem dotação orçamentária diferenciada e o Prefeito nem poderia dar reajuste unificado.

Frankeline Lima com boa vontade e de forma transparente em meio a Assembléia que ocorria no SINTEP em dado momento comunicou que havia recebido um oficio da procuradoria da prefeitura onde o SINSERMI havia ganho reajuste de 10% gerando daí a polêmica porque Isaac Dias se sentiu traído por entender que a proposta teria que ser negociada em conjunto e não isoladamente.


Com o “desequilíbrio emocional” do presidente do SINTEP que partiu pra baixaria ficou claro que o sindicalista agiu movido por sentimento de vaidade e egoísmo já que ao convidar os outros dois sindicatos estaria também querendo promoção política e como não participou da negociação dos 10% ficou irritado e partiu para a agressão, num franco desrespeito as pessoas que estavam presentes na Assembléia.

Mas o certo é que a estratégia de união dos três sindicatos fracassou e agora o SINSERMI e SINDISAUDE resolveram sair da parceria que foi frustrante e agora cada sindicato vai agir com autonomia própria já que ao ganhar aspecto de briga pessoal, sem entendimento cada um segue seu caminho.

Mas uma coisa é inegável graças ao apoio do SINSERMI e do SINDISAUDE o SINTEP avançou em suas reivindicações. O apoio dos outros dois sindicatos foi essencial e o SINTEP na figura do seu presidente além de não reconhecer isso ainda menos prezou e tentou desmoralizar partindo para a radicalização e agressividade condenada pela maioria dos que estavam presentes na sede do SINTEP.


Nenhum comentário:

Postar um comentário